quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Óleo de semente de uva


Fruto da videira, a uva está entre as frutíferas mais nutritivas utilizadas pela humanidade. Consumidas in natura ou na fabricação de vinhos, sucos, geleias e passas, ainda podem produzir óleo.

 
Esse óleo, extraído a partir de suas sementes (constituindo-se então um produto fabricado a partir de resíduos da indústria vinícola), apresenta alto teor de ácidos graxos insaturados, ácido linoleico e ácido oleico, além de apresentar propriedades antioxidantes devido a presença da vitamina E.

A vitamina E é um poderoso antioxidante que auxilia na manutenção e regeneração do tecido cutâneo. Já o ácido linoleico, também conhecido como ômega 6, é um ácido graxo com elevadas propriedades anti-inflamatórias, importante na cicatrização de feridas, por exemplo.

Segundo a ANVISA o óleo de semente de uva tem características similares ao óleo de girassol, sendo que os ácidos linoleicos e oleicos correspondem a maior concentração do óleo de uva.

A extração desse óleo é realizada pelo método de prensagem ou com a utilização de um solvente (Soxhlet). Pode-se ainda combinar os dois métodos. Das metodologias, a mais utilizada é a prensagem, onde o óleo é extraído com o auxílio de uma prensa mecânica que realiza o esmagamento das sementes removendo parcialmente o óleo.

Sua aplicação vai da cozinha aos tratamentos estéticos, podendo ser utilizado como hidratante corporal e na hidratação de cabelos ressecados.
 

2 comentários: