quinta-feira, 18 de maio de 2017

Fruta, verdura ou legume?

Pera, uva, maça, salada mista...
Você já cantou essa musiquinha?
Porque será que não cantamos: Tomate, uva, maça, salada mista...
Afinal, tomate é um fruto, também.

Vamos entender melhor essas diferenças?
Coloquei alguns exemplos abaixo:

Tomates
Popularmente chamado de legume, o tomate, botanicamente, é um fruto.


Os frutos surgem do desenvolvimento dos ovários, geralmente após a fecundação dos óvulos. As principais partes de um fruto são o pericarpo, resultante do desenvolvimento do ovário, e as sementes, resultante do desenvolvimento dos óvulos fecundados.
A partir dessa classificação, observamos que o tomate possui pericarpo e sementes, se encaixando nessa classificação.
Outro exemplo de fruto é a azeitona (Veja uma matéria especial sobre esse fruto).


Existe também o oposto, alguns alimentos que chamamos de frutos, mas na verdade não são. Como é o caso do caju, que é um pseudofruto, não sendo desenvolvido a partir do ovário da fruta, como é o caso do tomate.
Outro exemplo de pseudofruto é o morango.

Porém, não são todos os frutos que possuem sementes, como é o caso das bananas (Veja uma matéria especial sobrebanana com semente). Neste caso este fruto é chamado de partenocárpico.
 
Batatas
Chamadas popularmente de legumes, as batatas são caules. Nos caules sempre há a presença de gemas, são a partir delas que ocorrem as brotações.

Você já esqueceu uma batata em um canto da cozinha e ela brotou? É por esse motivo...
Outros exemplos de caules: cebolas e alhos.

Por sua vez, a mandioca, por exemplo, é um legume classificado como tubérculo, já que não há a formação de brotos, como ocorre nos caules.

E as verduras?
As verduras, são plantas herbáceas consumidas, usualmente, sem cozimento. Assim, geralmente comemos suas folhas, como é o caso do agrião, couve e alface.


A partir dessas informações, você consegue classificar o que comeu na sua última refeição?

terça-feira, 11 de abril de 2017

Amido ou fécula?


Você já se perguntou se existe diferença entre esses dois produtos?

Então, existe sim!

Quem define melhor essa diferença é a Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), onde:
“Amido é o produto amiláceo extraído das partes aéreas comestíveis dos vegetais”; e,
“Fécula é o produto amiláceo extraído das partes subterrâneas comestíveis dos vegetais”.

Para que você entenda melhor vou exemplificar:
O amido é extraído, por exemplo, do milho. O milho é extraído da parte aérea da planta.

Como exemplo para a fécula temos a fécula de mandioca. A mandioca é extraída de partes subterrâneas da planta.


Ficou mais claro?

Vejamos mais exemplos:
Amido de milho (conforme acima), amido de arroz, amido de trigo.
Fécula de mandioca (conforme acima), fécula de araruta, fécula de batata.


Se você não sabia, agora sabe diferenciar esses produtos?